Ser maker é questão de tempo

Muita gente tem grandes idéias na cabeça e não sabe por onde começar. Há sempre muitas dúvidas e desculpas: falta informação, faltam materiais e componentes, faltam máquinas. No entanto, é só procurar um pouco e vemos que existe solução para tudo. Uma busca no Google revela uma quantidade imensa de sites e canais de vídeo, com instruções detalhadas para aprender como realizar qualquer processo. Uma pesquisa nos principais sites de compra do mundo – desde o nosso Mercado Livre, indo até o eBay e o Aliexpress – nos dão acesso a uma variedade imensa de insumos para construir o que quiser. Resta só a justificativa de falta de máquinas – de um lugar para trabalhar, com equipamentos e infra-estrutura adequada. É para isso que espaços como o FAZ existem. O que falta então?

Depois de um ano de experiência operando o FAZ, aprendemos que a maior barreira para que as pessoas desenvolvam seu potencial como fazedores é o tempo. Isso é natural; o processo do fazer exige tempo e dedicação. O processo de desenvolvimento de um produto ou idéia inovadora depende de fases que não podem ser apressadas. Como diz o ditado, não adianta juntar nove grávidas para fazer uma criança em um mês.

O fazedor é alguém que mais do que ter grandes idéias, consegue dispor do tempo necessário para pesquisar, aprender sobre processos e materiais, e principalmente experimentar exaustivamente para desenvolver sua idéia até que se torne um produto de sucesso. Afinal, o processo de prototipação não aceita atalhos. É preciso investir tempo e sair da zona de conforto das soluções prontas. O resultado é compensador, seja ele algo para uso pessoal ou um produto inovador que irá gerar resultados financeiros. Quem já passou por esse processo sabe que ele funciona e não tem volta.

Quer se tornar um maker? Dedique tempo, coloque a mão na massa e os resultados virão.

 

By | 2017-11-28T11:12:40+00:00 novembro 27th, 2017|Uncategorized|Comentários desativados em Ser maker é questão de tempo