Como preparar seu arquivo para impressora 3D

As impressoras 3D têm a capacidade de criar modelos e objetos tridimensionais a partir de um arquivo digital. As possibilidades são imensas! Itens de decoração, próteses, peças de vestuário, casas (sim,você leu certo), engrenagens e até comida já foram feitos com impressoras 3D. Mas para se chegar a esses resultados finais incríveis, é necessário preparar o projeto anteriormente, por meio de arquivos digitais. Nesse post você vai entender tudo sobre a preparação de arquivos para impressões 3D. Confira!

Primeiro, você precisa criar um arquivo digital em CAD (Computer-Aided Design) ou software de 3D, usando programas de modelagem. Para saber qual programa é mais adequado para você, leia o post que fizemos sobre o assunto

Depois de selecionar o programa de sua preferência, é preciso criar o projeto na extensão STL, para que possa configurá-lo em um software secundário, chamado de “fatiador”.

É no fatiador que o preparo do seu arquivo realmente acontece. Nesse tipo de software, como o Cura, Simplify3D, CraftWare e Slic3r, você ajusta o arquivo para a impressão, definindo variáveis como:

 

  • Altura da camada, já que esse método divide a peça em camadas e imprime uma a uma, subindo no eixo Z. Quanto menor a altura da camada, mais camadas terá sua peça, maior será a resolução e mais tempo será gasto para imprimir sua peça.
  • Densidade da peça, ou seja, o quanto ela será preenchida, podendo ser quase oca ou maciça. Quanto menor a densidade, menor o tempo de impressão e menor a resistência da sua peça.
  • Velocidade da impressão. Esse parâmetro varia de acordo com o modelo da impressora e o tipo de filamento.
  • Tipo de filamento usado.
  • Temperatura em que a impressora vai operar, de acordo com o filamento escolhido.

Nesse momento, você também vai decidir a dimensão da peça e se irá usar cores diferentes, quando o modelo da impressora permite. Ah, importante: no fatiador não é possível modelar ou editar o seu projeto.

Ao decidir as configurações, é possível, ainda, saber o tempo de impressão que sua peça vai demandar e a quantidade de material que será usado.

Escolhendo o material apropriado

Para cada utilização de uma impressora 3D, nas mais diversas áreas de atuação, seja na saúde, na engenharia ou no design, por exemplo, escolher o material (filamento) apropriado é uma etapa indispensável no desenvolvimento do seu projeto. É ele que vai garantir resistência e durabilidade à impressão.

Todos são polímeros e os mais usados são:

 

  • Filamento ABS (Acrilonitrila Butadieno Estireno), derivado do petróleo, são comumente usados na produção de peças que tendem a sofrer altas cargas mecânicas e para prototipação industrial, já que possui alta resistência e durabilidade. Pode resistir temperaturas até 85ºc. Também é indicado para necessidade de acabamentos após a impressão 3D, porque possui dureza superficial baixa. Talvez seja o polímero mais utilizado nas impressoras 3D.
  • Filamento PLA é um ótimo material, especialmente por ser biodegradável e de origens vegetais. E em razão disso, não emite gases que sejam prejudiciais à saúde. Esse polímero não precisa de altas temperaturas para a extrusão e é indicado para a impressão de peças grandes e que não necessitam de acabamentos após a impressão.
  • Filamento Flex, como o próprio nome indica, é diferente por trazer maleabilidade e flexibilidade para as peças que demandam alguma movimentação na sua utilização. Não é recomendado utilizá-lo em todas as impressoras porque demandam mais cuidado durante a manipulação e por conta disso é indicado para usuários avançados e que já possuem certos conhecimentos na área.
  • Filamento PETG XT é considerado um material nobre para a impressão 3D, devido a excelente resistência mecânica, química e a altas temperaturas. Esse material pode ser utilizado em impressoras abertas ou fechadas, com mesa aquecida ou não. Geralmente é utilizado para a fabricação de capas ou cases pela sua durabilidade e ótima aderência entre as camadas de filamentos.

Acabamento das peças

Assim como a escolha correta do material, a qualidade da impressão está diretamente relacionada ao padrão do fatiamento adotado, por isso é tão importante entender como escolher as melhores configurações no software fatiador.  

Mas também é possível trabalhar no acabamento das peças de maneira mecânica, após a impressão. Saiba mais sobre o assunto neste post.

Conseguiu tirar suas dúvidas sobre o preparo do material para impressão? Agora, então, é só colocar as mãos na massa. Bons trabalhos!